4 Dicas para aplicar a Cronoanálise de forma efetiva

setembro 10, 2020 ProPartners No comments exist

Executar trabalhos de forma rápida e na maior qualidade possível é um desafio para todo gestor que busca alcançar as metas da própria empresa. Todos os dias nos deparamos em situações adversas no universo do empreendedorismo, algumas destas travam o nosso desenvolvimento, acarretando em desperdícios ou desempenho insuficiente em relação ao esperado.

Infelizmente esta quebra de expectativa é comum para vários empresários no Brasil, pois anualmente 21% de centenas de micro e pequenas empresas criadas, finalizam suas operações antes do primeiro ano de atuação, e já até falamos disso em outro artigo chamado 4 Dicas para organizar o setor financeiro.

É fato que aprendemos muito trabalhando quando queremos manter ou crescer o desempenho de uma empresa, porém algumas vezes necessitamos de uma ajuda externa (que pode vir através de consultorias), no qual ofereça conhecimentos inovadores para solucionar problemas que possam desviar sua empresa desta trágica estatística supracitada.

Confira aqui: Entenda como uma consultoria pode ajudar sua empresa.

Neste artigo, vamos abordar como uma consultoria pode ajudar o seu negócio aplicando uma metodologia não muito recente, mas que é amplamente difundida e utilizada nos dias atuais, a “Cronoanálise”. Preparado para conhecer um pouco mais sobre esta ferramenta e descobrir 4 dicas que podem te ajudar a executar trabalhos de forma mais rápida e na maior qualidade possível, trazendo o total controle do seu fluxo produtivo?

Se a resposta for sim, confira os tópicos que serão abordados neste artigo:

O que é Cronoanálise?

É um dos métodos mais empregados em indústrias e empresas, com a finalidade de implantar um estudo de tempos que garanta a padronização na velocidade de execução de atividades ao desenvolver um produto.

Em suma, utilizando cálculos estatísticos, é possível determinar um tempo padrão que cada atividade leva ao ser executada, ou saber quanto tempo leva para um lote de artigos ficarem prontos.

Imagine, se você souber identificar quanto tempo leva para cada etapa produtiva construir uma parte do produto, você saberá a velocidade da sua produção, logo vai ser mais fácil identificar onde está ocorrendo um gargalo na empresa, caso existir.

Alguns benefícios alcançados pela cronoanálise:

  • Aumento do controle da produção;
  • Otimizar os processos produtivos;
  • Evitar desperdícios;
  • Reduzir os custos;
  • Reduzir prazos de entrega;
  • Avaliar o desempenho dos funcionários.

Ferramentas utilizadas para a Cronoanálise

Cronômetro Centesimal São os tipos de cronômetros mais utilizados, é a principal ferramenta do cronometrista pois irá marcar os dados essenciais utilizados para os cálculos.

Filmadora Não é uma ferramenta obrigatória, porém auxilia o trabalho do cronometrista a verificar mais de uma vez se a atividade analisada realmente ocorreu corretamente além de verificar qual foi a velocidade.

Folha de Observação É essencial para registrar a coleta de dados do cronômetro, porém pode ser substituída por alguma tecnologia de função similar, como um tablet.

 

1º Dica: Conversando com a equipe

Antes de executar a metodologia procure ter uma conversa particular ou em equipe com cada colaborador que possui um papel operacional essencial para a construção do produto. É essencial que todos os funcionários executem suas atividades normalmente sem que a análise do estudo de tempos interfira na execução.

Também é muito importante a escolha do operador que irá ser analisado em cada etapa da produção, a partir de critérios empíricos o gestor deve escolher um funcionário com desempenho mediano (nem muito rápido, nem muito lento), pois isto interfere na obtenção do Tempo Padrão.

 

2º Dica: Definindo o cronometrista

Antes do cronometrista executar as marcações é necessário definir o método de operações e dividi-la em elementos, isto é, analisar o trabalho que o funcionário executa e dividir o seu modo de realização em partes, para cronometrar separadamente.

Vamos supor que alguém toque a campainha da sua casa. Você levanta, pega a chave e abre a porta. Dividindo este método de operação ficaria:

Elemento 1: Procurar a chave.
Elemento 2: Andar até a porta, colocar a chave e abri-la.
 

3º Dica: Definir o Tempo Padrão

Aqui começa a parte mais difícil, porém não impossível, talvez seja necessária a ajuda de terceiros que contemplem conhecimentos estatísticos. Inicialmente, para elaborar um produto devemos considerar os tempos padrões de Setup, fabricação e finalização. Porém vamos com calma, definindo primeiro o que é cada um:

Setup É o Tempo Padrão gasto na preparação do equipamento necessário antes de iniciar a fabricação. Exemplo, se você quer fabricar bombons, antes de iniciar a produção você deve determinar uma quantidade de papel necessário para embrulhar o bombom.

Fabricação
É o Tempo Padrão gasto para produzir o bombom.

Finalização É o Tempo Padrão gasto para finalizar um lote de artigos, ou seja, uma dúzia bombons serem produzidos e embrulhados em papel, todos os 12 serão colocados em caixas lacradas. Aqui simboliza a etapa final da produção, o produto está pronto para ficar em estoque ou ser distribuído.

Vamos focar no Tempo Padrão da etapa de fabricação, os cálculos feitos para encontrar o tempo desta etapa servirá de exemplo para as duas demais etapas. Gradativamente o que deve ser feito é:

  • Execução de cronometragem preliminar, de 5 a 7 ciclos;


  • Determinação do número de ciclos a serem cronometrados, através do uso de fórmula estatística;


  • Execução da cronometragem pelo número ciclos que ainda faltam ser cronometrados;


  • Obtenção do Tempo Cronometrado (TC);


  • O gestor deve determinar de forma empírica a velocidade (V) no qual o colaborador analisado está executando a atividade, de forma percentual;


  • Obtenção do Tempo Normal (TN);


  • Determinação dos fatores de tolerância (FT) – o tempo que os funcionários utilizam para exercer suas necessidades pessoais e o tempo de alívio de fadiga, analisando o contexto ergonômico da fábrica.


  • Obtenção do Tempo Padrão (TP) de fabricação do produto.

TP = TN x FT      ou     TP = TC x V x FT

4º Dica: O investimento mais importante que você pode fazer no momento

Toda metodologia precisa de muito estudo e dedicação para ser executada corretamente, nem sempre o gestor possui o tempo necessário para aprender e aplicar de forma eficiente uma ferramenta, sendo importante salientar que algumas técnicas devem ser executadas com muita precisão, caso contrário a produção da sua empresa pode ser prejudicada. Para não ocorrer estes tipos de riscos existem as consultorias, um investimento estratégico que pode auxiliar empresas que passem por problemas de gestão.

A Cronoanálise é uma ferramenta essencial para manter o controle produtivo de uma empresa, entretanto a equipe de cronometristas deve praticar habitualmente treinamentos para estarem adaptados à diversas circunstâncias apresentadas no chão de fábrica, além de terem experiência nas áreas de cálculos estatísticos.

Na ProPartners ao entregarmos soluções na área da Engenharia de Produção, como a Cronoanálise, vivenciamos o desenvolvimento de micro e pequenas empresas, auxiliando os clientes e tornando suas empresas mais competitivas e com maior produtividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *